Minha Gatinha Virou Uma Chifradeira

Parte 1

Meu Nome é Luiz, tenho 25 anos e sou de Recife. Descobri que gostava de ser corno aos 18 anos. Mas nem tudo sempre foi dessa maneira: Sempre fui um menino tímido quando se tratava de dar em cima das meninas. No ensino médio, estudava num colégio muito grande que tinha cerca de 600 alunos. Do dia pra noite, eu passei do aluno discreto e anônimo pro cara mais popular e conhecido do colégio nos três turnos, graças a uns eventos de música e dança que começaram a acontecer e eu venci 2 anos seguidos. Então tudo mudou em relação as meninas: elas apareciam aos montes, pediam pra ficar comigo, mas eu sempre continuei um cara equilibrado e tranquilo. Se antes não tinha opção, agora eu tinha várias e poderia escolher a melhor delas.

Então um belo dia uma amiga minha me apresentou por acaso uma menina tímida, magrinha porém muito linda chamada Geisiane. Ela nunca tinha namorado ninguém do colégio e era muito estudiosa, então achei um diferencial nela: Poderia ficar com alguém anônima no colégio e ninguém iria passar o olho. E assim a gente foi se conhecendo, trocamos Orkut e MSN (2010 isso), então ficávamos madrugada a dentro conversando e se conhecendo. Marcando pra nos encontrar, mas nunca dava certo, sempre havia um empecilho: Chuva, a mãe não deixava, eu tinha que resolver algo… Até que um dia deu certo. Passamos a tarde sentados num banco da praça de mãos dadas, sorrindo, conversando coisas de adolescentes bobos, quando fomos embora foi a primeira vez que peguei na mão dela, senti a adrenalina subir assim como ela também sentiu, revelando mais tarde.

Como eu era nunca tinha namorado com ninguém, virgem, só tinha dado no máximo selinhos, tudo era novidade, até as brigas. A maior parte das discussões eram por ciúmes meus: Eu não queria perder aquela Joia rara, aquela bonequinha de luxo. Lembro-me que estudava a tarde, no terceiro ano do ensino médio, e tive que ir pra noite por conta do meu primeiro trabalho que consegui na prefeitura do Recife e ela passou pra noite por conta de mim, inclusive estudando na mesma sala. Um dia eu cheguei na escola mais cedo e fiquei esperando no pátio, pouco tempo depois ela aparece na bicicleta com um colega de sala. Ele disse ‘’olha quem eu encontrei vindo no caminho’’ na hora eu fiquei possesso de ódio, mas fingi que estava tudo bem. Quando ele se foi, briguei com ela, disse que não era mais pra aceitar carona e ela desabou chorando, se apoiando no meu peito. Aquilo foi uma faca no meu coração: ‘’Que tipo de monstro eu sou?’’ pensei comigo mesmo. Então pedi desculpas e a gente ficou tranquilo.

Os Meses foram passando, entre brigas e reconciliações, nós perdemos a virgindade, mas antes de perder ela passou 3 meses só fazendo sexo anal comigo, pois tinha medo da mãe descobrir que ela não era mais virgem, até o dia que ela tocou o foda-se e resolveu perder o selinho. O tempo foi passando, tudo ia bem até ela conhecer uma amiga chamada Mariane que era viradinha e começou a levar Geisiane pra festinhas, churrascos, apresentar amigos novos e etc. Eu era muito caseiro, meus destinos eram casa, escola e trabalho. Então um dia entrei no Orkut dela, pois havia descoberto a senha, e vi conversas dos meninos dando em cima dela, justamente amigos de Mariane. Eu fiquei com raiva, disse a ela o que tinha lido, ela chorou, ficamos uns dias sem nos falarmos e depois voltamos ao normal, mas nesse meio tempo um sentimento de curiosidade começou a despertar em mim: E se eu deixasse ela ficar com um desses boys, será que ela continuaria me amando da mesma forma?

Parte 2

Depois que a poeira baixou, comecei a conversar por alto com ela, coisas do tipo ‘’não vou ficar com raiva… pode falar… aquele cara é bonito’’ e ela aos poucos foi soltando o que ela realmente achava. Quando iamos transar, eu fingia que era outra pessoa: Um cara que conserta TV, ou entregador de água mineral, carteiro, etc… Pra ver até onde ela ia quando estava excitada. Foi numa dessas transas que ela soltou ‘’vai me come, que meu marido foi trabalhar’’. Aquilo despertou em mim um tesão grande e acabei gozando depois de ouvir aquilo. Depois de semanas conversando sobre isso e fazendo com que ela achasse normal, ela finalmente decidiu que iria ficar com outro Boy, me fazendo de corno manso, mas com ressalvas. Ela disse que ela só sairia se estivesse afim do cara, pra eu não apressar nada e o mais importante: não ficasse com raiva depois.

Com tudo combinado, era só esperar ela se encantar com alguém, naquela altura pretendentes não faltavam. Ela começou a fazer um Curso no centro do Recife pra arranjar seu primeiro emprego e já tínhamos terminado o ensino médio, eu estava fazendo curso no SENAI. Lá conheceu um rapaz chamado Fernando. Segundo ela me contava, ele era mais alto que eu, tinha um charme no olhar, na fala, era um comedor nato. Então ela um dia, enquanto estava na minha casa, disse a mim que tinha achado alguém que se interessou em ficar. Disse que tinha combinado com ele e mais 2 amigas pra ir ao cinema. Chegado o dia, ela pediu pra eu não ligar pra ela pra não atrapalhar, então fui trabalhar naquela ansiedade que me consumia, voltei pra casa, fui pra escola à noite e ela não tinha ido. Eu sentia uma mistura de Tesão com medo e ansiedade, nem consegui me concentrar na aula. Quando cheguei em casa, ela estava online, falei com ela como se nada tivesse acontecido e nem estivesse ansioso. Aí perguntei se eles tinham ido ao cinema mesmo, ela disse ‘’O que você acha? Claro que sim’’. Me contou que pegaram um filme chato que ele já tinha visto, aí depois começaram a se beijar de língua enquanto ele pegava nos peitos dela. Depois ele desceu a mão e passou por cima da buceta dela na calça comprida Jeans. Depois ela contou que ele botou a bolsa no colo, botou o pau pra fora e sutilmente ficou batendo uma. Ela não acreditou e foi verificar com a mão e começou a punheta-lo bem devagar, até que depois ele gozou. Ela disse que quando saiu da sala e foi ao banheiro, ela estava super molhada. Enquanto ela me contava isso pelo MSN, eu batia uma punheta no meu quarto lendo o relato com uma mistura de tesão e ciúmes, meu corpo todo tremia, gozei muito naquela noite.

Nesse período já tínhamos 2 anos de namoro e continuamos namorando assim por algum tempo: Ela ficando com ele no curso, mas nunca chegaram a transar de fato e namorando comigo sem que ninguém desconfiasse, só quem sabia nós dois, ele e a amiga dela chamada Laís. Depois que o curso acabou, eles pararam de se ver, então perguntei se ela ia parar de me trair, ela disse: ‘’nada disso. Você não queria ser corno? Agora aguente, vou ficar com mais, inclusive vou pro ‘’São João da Capitá’’ sem você…’’

Parte 3

Nesse período ela já não era mais aquela menininha por quem eu tinha me apaixonado: Eu tinha criado um ‘’monstro’’ que estava sedento por novas aventuras, saideiras e curtição. Ela já tinha um aspecto de mulher que amadureceu, que queria ser independente, não ia mais aceitar caprichos de ciúmes bestas. Então um dia ela veio na minha casa, enquanto estávamos deitados na cama e ela batia uma punheta pra mim, disse que Laís iria levar um amigo pra ficar com ela no Show, eu então disse: ‘’Eu vou contigo, pra ficar vendo.’’ Ela aumentando o ritmo da punheta falou: ‘’Nada disso, você vai ficar aqui, eu vou com ele. Lugar de Corno é em casa esperando a mulher chegar toda acabada.’’ Eu senti um puta tesão nisso pelo jeito que ela falou sem eu esperar. Acabei gozando. Eu fiquei pensando: A minha menininha tinha virado uma dominadora, tudo graças a mim.

Então o dia ia se aproximando e os amigos do SENAI praticamente me obrigaram a ir pro São João da Capitá, apesar deu detestar esse tipo de música. Fui pela zueira. Disse a ela que iria, ela disse que tudo bem, mas não queria que eu ficasse atrás dela. No dia do Show, encontro com ela bem na entrada, sozinha ainda e eu com minha turma (nem parecíamos mais namorados) eu falei com ela por 5 minutos e depois entrei. Ela ficou lá esperando as amigas e o boy. Quem disse que eu me concentrei em nada do evento? Fiquei ligando pra ela, pra saber em qual parte ela estava, pois era na área externa do centro de convenções, muito grande o local. Ela atendeu uma vez e disse ‘’Me deixa em paz, tô curtindo’’ e desligou o celular. Tinha uma menina sobrando, que meus amigos levaram pra ver se eu ficava com ela, lindíssima, mas quem disse que eu queria saber de ninguém? Lá pra meia noite e meia, ela passou de mãos dadas perto de mim com o boy (que por sinal era muito feio), mas não me viu. Ela só me viu na volta. Meio constrangida ela soltou a mão dele, fez uma carinha de riso safado e disse ‘’estas por aqui?’’ eu juro que ver minha namorada de mãos dadas com outro foi pior do que imaginar ela beijando o Fernando no cinema. Eu só disse ‘Sim’’ e olhei pra ele. Então eu disse aos amigos que iria ver onde ela estava e fui atrás. Fui passando aos poucos no meio da multidão de gente, então vi a cena: Os dois se beijando de língua loucamente. Fiquei paralisado, parece que não tinha mais ninguém ao meu redor. Aquilo me deu uma sensação de vazio imenso e tudo que eu fiz foi ir passando pela multidão até chegar na saída. Pedi um táxi e fui embora, sem avisar nada aos amigos que estavam lá.

No Outro dia ela me ligou, perguntando se eu estava bem, dizendo que o boy entrou em coma alcoólico e ela o deixou lá com as amigas e foi pra casa. Depois desse dia a gente começou a se ver pouco, quase não se falava mais, eu comecei a sair mais com os amigos e beber (coisa que eu não fazia até então) e então depois de um tempo, sentamos pra conversar e vimos que não tínhamos mais amor um pelo outro, que depois de tantas discussões, términos e voltas, não havia mais o que fazer a não ser cada um prosseguir com sua vida. Sofri muito, passei meses lembrando dela , chorando na frente dos outros, sentindo saudades, não da menina que terminou comigo de um jeito frio, mas daquela que me fez sentir um choque de boas emoções ao andar pela primeira vez de mãos dadas comigo, naquela pracinha do Bairro do Hipodromo…

Este post tem 2 comentários

  1. É esse tipo de conto que mexe com o emocional da gente… dois dias de sentimentalismo agora… triste.

  2. Amigo corno manso ..sei que é difícil se iniciar na vida de corno manso todos paasamos por isso .mas vc deveria ter assumido ela e deveria ter continuado o namoro até se casar e ter uma esposa verdadeiramente puta..acredito que o erro de todo corno manso e se expor demais ..bom mais era ela que mandava ne..mas no início vcs poderiam ter combinado de ela fazer tudo no maior sigilo e descrição .bem escondido de todos apenas vc e ela saberiam que vc curte ser corno manso e ela é uma vadia.teria que ser o segredo de vcs ..se expor assim fica complicado .acredito que terminou por causa deste detalhe..abraço amigo corno manso ..

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho