Meu Namoro Com Letícia – Parte 3 – Virei Corno Manso

Fiquei arrasado por uns 3 dias, não fui pra aula, não saí de casa, nem comi direito, emagreci. Mas não conseguia parar de pensar nela. Eu era louco por aquela moreninha, adorava o jeito dela, tinha um tesão maluco por aquele corpinho e não conseguia me conformar dela ter sido tão mentirosa comigo. E ainda pensava que jamais conseguiria namorar outra menina como ela na minha vida.

No terceiro dia entrei na internet pra procurar no google: “Como lidar com traição”. Fiquei umas duas horas procurando e acabei encontrando alguns sites e blogs de homens que gostavam de ser chifrados. Isso me fez lembrar de que quando ela passava e outros caras a comiam com os olhos, aquilo me dava uma estranha sensação de ciúmes e tesão.


Nos dias seguintes explorei um pouco mais aqueles sites e me masturbei algumas vezes pensando na minha mignonzinha dando pra outro, principalmente pro Gulliver, o gigante da faculdade. Bati algumas punhetas pensando em como ele a comia. Foi aí que caiu minha ficha. Eu sentia falta da Letícia e descobri que ela ficar com outro me dava tesão, então porque não tentar reatar?? Resolvi que ia ligar pra ela no dia seguinte e convidá-la pra sair e conversar.

Liguei na hora do almoço e falei com ela enquanto ela almoçava. “Gu, que surpresa?? O que você conta?” “Oi Lê, bora jantar hoje à noite? Queria conversar umas coisas com você”; Ela demorou um pouco a responder por estar mastigando, e respondeu: “Como assim Gu, depois de tudo você ainda quer conversar?” “Sim”. “Mas é sobre o quê?” “Sobre nosso namoro”. Ouvi umas risadas na ligação. “Tem alguém aí com você? Sim, tô almoçando com uns amigos”. “Tá, podemos falar hoje à noite então?”. Depois de mais uma pausa pra mastigar ela falou: “Tá né”… “8 horas no Meiji?” “Ok, te encontro lá”.

Cheguei mais cedo e quando ela chegou, ao se aproximar com aquele jeitinho sexy de andar, bateu aquela sensação que me lembrou como eu era apaixonado pela Lê. Meus olhos encheram de lágrimas. Eu queria ela de volta pra mim. A gente se cumprimentou e dei um abraço forte nela, segurando pra não chorar.

“Oi Gu, você não foi nas aulas, que houve? Achei que estava puto comigo, não quis entrar em contato”. “Letícia, eu quero voltar… eu te amo, não consigo viver sem você”, falei sem rodeios e pela minha cara ela viu que eu estava falando sério. “Como assim Gu, eu te botei aquele tanto de chifre e você ainda me quer?” “Sim, eu sinto muito sua falta, não consegui dormir, comer, ir na aula, nada, eu preciso de você”. “Gu eu também sinto sua falta, mas já falei… não quero me prender agora, estou feliz sendo livre”. Fiquei um tempo quieto enquanto ela esperava eu responder…

“E se eu te disser que você pode ficar com quem quiser, você namora comigo??”. “Hahaha! Ahn?? Tá falando sério? Como assim?” “Isso mesmo, eu te amo, não quero te perder… e quero que você seja feliz”. “Gu, eu não tô acreditando nisso… que tipo de homem aceita ser corno assim? Kkkk , vc não é homem não é?”. “Não só sou homem mas quero você pra mim. Me responde Letícia”.

Ela parou, pensou, me olhou, riu, me olhou de novo, pensou.. E finalmente disse: “Gustavo, eu vou ter que pensar nisso, não posso responder agora. Vou conversar com minhas amigas, e te dou a resposta daqui dois dias, pode ser? Encontramos aqui de novo no mesmo horário”. “Tá bom” “Mas eu vou falar pras minhas amigas, inclusive as que te conhecem, que você quer ser corninho manso, você não se importa?” “Eu me importo, mas se esse é o preço que eu tenho que pagar pra ter você, tudo bem.” “Então tá, combinado, nos vemos na Sexta”. Ela nem fez menção de pegar a carteira quando a conta chegou. Estava subentendido que corno paga a conta.

Bati mil punhetas nos dois dias seguintes enquanto nosso encontro não chegava e cada vez mais estava convencido de que eu queria a minha moreninha de volta, e não me importava dela dar pra outros. Pelo contrário, aquilo me dava tesão, algo que eu estava descobrindo aos poucos mas que já era bem forte na minha imaginação.

Passados os dois dias nos encontramos de novo. Era crueldade demais, ela estava linda, sorridente, com um ar mais maroto ainda que o normal. Uma energia feminina impressionante que me deixava aos seus pés. Acho que se ela me pedisse pra roubar um banco pra ela naquela hora eu obedeceria. “Oi querido, como passou os últimos dias dias”, ela perguntou me encarando com seus lindos olhos azuis.

“Pra te falar a verdade apreensivo, não consegui parar de pensar em você nem um minuto. Eu sou louco por você Letícia. Qual sua resposta, você pensou no assunto?”. “Pensei sim, mas eu queria te fazer mais umas perguntas antes…” “Pode fazer…”. “Tá bom.. .eu conversei com minhas amigas… Elas falaram que você é louco, e a Débora falou que você deve ser gay. Daí eu fiquei pensando com meus botões… será que ele é gay? E aí Gu, você tem certeza que você não é viado? Por que pra querer deixar sua namorada livre, é meio suspeito né?”. “Fala sério né Lê, nunca tive tesão nenhum em homem”. “Tá né, se você diz…Mas se eu descobrir que tem viadagem por trás dessa história eu caio fora na hora”. “Isso quer dizer que você aceita?”

“Sim, aceito, eu gosto de você… não custa ver onde isso vai dar né?” “E além do mais não tenho mais ninguém pra me ajudar com os trabalhos da faculdade,kkkkk….  Mas a gente tem que pensar bem nas regras desse namoro doido, porque não quero que você fique me enchendo o saco não”.

“Você não tem noção Lê, sou o cara mais feliz do mundo agora”. “Mas Gu, eu tenho que te falar…. Tô ficando direto com o Gulliver… eu sei que você odeia ele, mas não vou parar não… “ “Pô Lê, logo ele??” “Se você tiver algum problema com isso é melhor a gente terminar agora mesmo”. “Tá bom…. Você falou pra ele”. “Falei, ele morreu de rir, falou que você tem cara de corno manso mesmo, hahahaha”, ela riu de rachar, me deixando vermelho.

“Lembra quando você me ligou, falando que queria falar comigo? Eu tava com ele, foi a voz dele que você ouviu ao fundo era ele… quando eu falei que estava mastigando, eu estava de boca cheia mas não era bem mastigando…. O telefone tava no viva voz e ele tava ouvindo tudo”…. Ela falou me encarando pra eu ver minha reação. Eu fiquei vermelho de raiva e vergonha, mas não tinha muito o que fazer.. Se eu quisesse continuar o namoro eu teria que ser corno manso dela e era melhor me acostumar…

Este post tem 4 comentários

  1. Que conto maravilhoso!!! Tomara que não acabe nunca! Não vejo a hora de ver novamente!

  2. Posta a continuação. …terá neh?? Ansioso pra saber oq mais ela aprontou.

  3. Quando vai continuar os contos? São incríveis!
    Sempre indico esse site para os cornos aqui de SP =)

  4. Desejo iniciar contato com mulher fogosa para intensos momentos de prazer sexual ou casal cujo marido sinta desejo de ver sua amada transando com outro macho.T
    enho excelente nível, com local mas posso ir até vc para gozarmos gostoso de forma discreta.
    sp e interior de sp
    homemgostoso@bol.com.br
    Vem gozar gostoso comigo

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho