Meu Namoro Com Alice – Parte 1 – O Início

Meu nome é Paulo e quero contar a história do meu namoro com a Alice. Mas antes vou falar um pouco sobre mim pra dar um pouco de contexto. Moro em uma capital do Nordeste e venho de uma família de classe média. Nunca tinha namorado na minha adolescência, mas claro que como a maioria dos jovens já havia perdido minha virgindade e tido alguns rolos por volta dos meus 17-18 anos.

Comecei a cursar a faculdade de Educação Física sem saber muito o que queria da vida. Só sabia que adorava esportes e como tinha notas relativamente boas, passei numa federal. O primeiro semestre da faculdade foi relativamente tranquilo. Algumas matérias difíceis, algumas festas (não sou tão festeiro assim), e, claro, sempre praticando muitos esportes e musculação (que fazia desde os 15 anos). 

No segundo semestre consegui um estágio numa academia no Centro da cidade. Tinha um total de 20 horas lá. Era bem puxado se contar com as horas da faculdade mas eu adorava. Tinha várias gatas e eu ficava louco (por dentro) ao ser instrutor de alguma gostosa. Foi minha primeira experiência profissional e aprendi muito. 

Depois de uns quatro meses trabalhando lá apareceu um grupinho de 3 meninas entre 17 e 21 anos, a Alice, a Mary e a Júlia.  As três eram relativamente atraentes, mas a Alice era uma delícia. 17 anos, loirinha de olho castanho, rostinho de menina, coxas roliças e bunda grande. E um jeitinho de andar que deixava a bundona dela sempre empinadinha. Uma delícia.  Infelizmente o primeiro teste dela não foi marcado comigo, mas com a Júlia, que também era gatinha (1,50, magrinha, também bunda grande), mas descobri que tinha namorado. 

Elas passaram a frequentar a academia e numa dessas vezes puxei assunto com a Alice a conversa não demorou pra fluir. Não lembro porque exatamente, mas eu já tinha confiança o suficiente para chamar meninas pra sair sem muito problema e chamei-a pra ir ao cinema. Ela topou, trocamos telefone,  e eu lembro de ter ido rindo à toa por ter arranjado um encontro com uma gatinha daquelas. 

Só pra contextualizar um pouco mais, elas eram do interior e moravam juntas (com mais um irmão) em um apartamento perto da academia. Alice e o irmão estava estudando para o vestibular e a irmã e a amiga já faziam faculdade. 

Quando fui buscá-la, ela estava simplesmente incrível, meu queixo caiu: jeans marcando suas pernas e quadris lindos, blusinha tomara que caia e um tamanco que revelava seus pezinhos perfeitos. Tudo correu bem, conversamos bastante e ao voltarmos pra casa eu a beijei. Agora não lembro exatamente a ordem dos fatos, mas não demorou pra pedí-la em namoro. Se eu não segurasse uma princesinha daquelas, algum outro ia encontrar. 

Conversa vai, conversa vem, descobri que ela era virgem. Meu deus, ganhei na loteria, pensei. Os pais dela eram religiosos e claro que fizeram a cabeça dela pra não transar muito cedo, apesar de que não necessariamente queriam que ela esperasse casar pra perder o selinho. 

Continuamos conversando bastante e ela contou que havia tinha namorado um cara chamado Saulo por 2 anos mas ele era muito babaca, playboyzinho e terminaram porque ele não dava muita atenção pra ela. Fiquei curioso deles terem namorado por dois anos, ele ser playzinho e não ter tentado comer uma princesa perfeita daquelas. 

Ela disse que ele tinha sim tentado e eles já tinham feito algumas coisas, mas que na hora H doeu demais e eles pararam de tentar. Minha reação imediata foi pensar que ele tinha o pinto grande e eu perguntei: ‘Mas por que doeu tanto? Era grande?’ Ela respondeu que sim mas não parecia querer continuar com o assunto. E eu perguntei: ‘Grande quanto?’. Ela ficou meio contrariada e achava que era bobeira minha querer saber, mas eu insisti e ela mostrou o ante-braço dela como referência. Como ela era baixinha, isso significava que o pau do ex tinha cerca de 20cm. 

Lembrando que tudo isso aconteceu quando ela ainda era virgem, então ela não tinha muita opinião formada sobre tamanho e essas coisas, mas ela perguntou: ‘Por que? O seu tem quanto?’ Eu menti e falei que tinha 14cm (na verdade tem 11), e ela não ligou muito. E a conversa morreu ali. 

Nossos primeiros dois meses de namoro foram muito bons. Eu estava totalmente apaixonado pela loirinha, ela conheceu minha família e alguns amigos mais próximos e a gente se via uma ou duas vezes durante a semana e também nos finais de semana. Claro que namorando uma delicia daquelas eu queria muito tirar a virgindade dela e fazer coisas safadas, mas naquele início ela não me deixava fazer nada. Com muito custo ela me deixou botar as mãos nos seus seios (pequenos) e até passar a mão na bunda dela era um custo, ela estava dificultando MUITO pra mim. 

Eu aceitei a situação porque respeitava muito ela e apesar da tentação eu resolvi esperar e deixar as coisas acontecerem naturalmente no tempo dela. Ela me deixou apertar a bunda dela algumas vezes e mais uma vez segurar seus seios (por cima da roupa), mas nada além disso, para meu desespero. 

Logo depois disso, recebi uma noticia que me incomodou um pouco. O ex-namorado dela, que morava em sua cidade natal ia passar uma semana na capital e ia ficar hospedado no ap da Alice, a convite do seu irmão. Eles eram muito amigos e basicamente ele estava indo para visitar o irmão e o contato com a Alice seria apenas consequência (e coincidência). Eu fiquei meio preocupado e perguntei onde ele ia dormir e mais alguns detalhes mas ficou só nisso, deixei o assunto pra lá. 

Passamos o fim-de-semana juntos como sempre e na segunda-feira o ex-namorado dela chegou para passar a semana. Não nos vimos até a Quarta-Feira e finalmente fui até a casa dela pra gente namorar um pouco. Chegando lá o tal do Saulo estava na sala com o irmão e logo fomos apresentados. Ele era bem mais alto que eu, cerca de 1,90 (eu tenho 1,70) e um aperto de mão bem forte, que fez minha mão doer. Ele não era sarado, mas era um cara encorpado, meio acima do peso, com barriguinha saliente, mas rosto jovem, cabelo liso tipo asa-delta um pouco grande. 

Não me senti muito à vontade com a situação e a Alice percebeu e me levou para o quarto onde ficamos namorando. Ela parecia um pouco diferente, preocupada e depois de alguns minutos botando a conversa em dia ela disse que tinha que me contar uma coisa. Eu perguntei o que era e mal acabei de falar o irmão dela entrou e chamou a gente pra jantar na sala e a Alice aceitou. Eu não me sentia à vontade com a situação mas não queria contrariar e parecer medrosinho, então fui. 

Sentamos na mesa pra comer e o tempo todo eles ficaram falando de coisas do passado, histórias dos amigos da cidade natal deles e outras coisas que não davam abertura pra eu entrar na conversa. Eu resolvi apenas ficar calado e manter a compostura e torcer pro tempo passar rápido até que o Saulo começou a falar pro Felipe (o irmão da Alice) sobre a atual menina que ele está pegando. Falou que ela era uma santa quando eles se conheceram mas agora ela já fazia de tudo. Fiquei incomodado deles falarem de sexo abertamente assim na frente da Alice mas não falei nada. Eles ficaram falando da menina e fazendo piada. A Alice não contribuiu pra conversa mas estava rindo também e não se importando muito.  Ele disse que agora ela pedia pra chupar o pau dele todo dia, que estava viciada e que ‘parece até alguém que eu conheço, né Alice??’, nem ligando pro fato de eu estar ali. 

A Alice respondeu rindo: ‘Ai menino deixa de ser ridículo’, dando a entender que não era legal ele falar isso na minha frente. Fiquei surpreso do irmão dela não se importar de falar dos hábitos sexuais da irmã assim mas acho que ele não ligava por eles serem super amigos. Ficou um silencio meio constrangedor e o Felipe pegou uma banana que estava numa cesta de frutas na mesa pra comer e assim que ele notou que ele tinha uma banana na mão logo depois deles falaram de sexo oral ele explodiu de rir. O Saulo e a Alice entenderam e morriam de rir também e logo estavam os três sem respirar de tanto rir olhando pra banana e a Alice disse em meio às risadas: “É bem maior que isso, hahahha”, morrendo de rir e fazendo os dois rirem ainda mais. 

Eu não sabia onde enfiar a cara e estava chateado com o desrespeito da situação. Voltamos para o quarto depois da conversa e eu falei pra ela que não tinha gostado e a Alice disse que ele era folgado assim mesmo e essa era uma das razões que fizeram ela terminar. Fiquei meio emburrado e ela falou: “Desculpa, eu sei que você tá chateado, mas tenho que te contar que ontem à noite depois que ele voltou da rua com o Felipe e tomou banho ele veio ao meu quarto só de toalha e ficou me atormentando perguntando se eu não estava com saudade de ver o pinto dele. “O que, como assim??”. “Eu te falei que ele era folgado”. E você fez o que?? “Botei ele pra correr claro”. “Que merda cara, e ele ainda vai ficar aqui mais 4 dias. “Não se preocupa, ele pode ser folgado mas eu só quero você”. A conversa morreu ali e fiquei mais uma hora. Nos beijamos bastante e eu tentei botar a mão dela no meu pinto: “Nem pensar, você sabe que eu não quero fazer essas coisas ainda, é muito cedo”.

Não tendo muito como argumentar, tive que ceder e fui embora de pauzinho duro. Ao sair, fiquei escutando ao lado de fora da porta pra ouvir algo suspeito e ouvi o Saulo dizendo: “Ele já foi??”, mas não ouvi a resposta. Meu coração disparou e eu tentei mas não consegui escutar mais nada. Queria confrontá-la e perguntar porque ele perguntou aquilo mas achei melhor fazer isso na Sexta quando a gente se visse de novo, pra ver a reação dela. Algo me fazia suspeitar que ela estava mentindo, mas não dava pra ter certeza. 

Sexta finalmente chegou e fui buscá-la para irmos a um restaurante ter um jantar romântico. Ao chegar lá não tinha ninguém em casa além dela e eu disse que tinha ouvido o Saulo perguntar se eu já tinha saído e qual era o motivo. Ela falou pra eu deixar de ser paranóico e que ele e meu irmão estavam me esperando pra jogar baralho depois que eu saísse. Ela estava terminando de se arrumar e me mandou ir pra sala que ela ia se trocar (ela ainda não me tinha deixado vê-la nua. 

Seu telefone tocou e ela começou a conversar com alguém: “Sério?? Não acredito! Gostou então?? Mas eu tinha te falado né! Kkk, você me deve essa”. “Sim, sim, ele tentou, mas agora sou uma mulher comprometida né?? Kkkk”. “Sério?? Ele disse isso?? Ficou em silêncio um tempo… “Ai, sério?? Não guria, pára, kkkk”. “Ow, tenho que ir agora, depois falamos”. Achei a conversa estranhíssima e perguntei quem era. Era a Júlia (a moreninha baixinha da academia). Ela me contou que ela foi à casa deles e conheceu o Saulo e ele pediu pra Alice fazer o meio-campo entre os dois. A Alice pelo jeito falou bem do Saulo para ela e a Júlia ligou falando que eles tinham saído e eles tinham transado. Eu perguntei o que é que ela “já tinha falado” como ela disse no telefone e ela ficou meio sem graça e fez o sinal do tamanho do pau dele com a mão. Fiquei meio incomodado dela ficar falando do tamanho do pinto de outro cara com as amigas, mas deixei passar…

Continua…

Não esqueçam de entrar nos meus novos blogs e mídias sociais:

https://juchifradeira.tumblr.com/

https://achifradeira.bdsmlr.com/

https://www.instagram.com/achifradeira/

https://www.facebook.com/jujulimactba

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho