Corno Capixaba: A Renata Me Chifra sem Parar

Primeiro vou nos apresentar: somos Lucas e Renata, ambos 23 anos, eu engenheiro civil recém formado e Renata no último ano de medicina. Sou normal, 1,83 corpo normal, relativamente bonito porém pau pequeno (12cm). Renata é baixinha, 1,55cm. Morena, cabelo liso até às costas, 275ml de silicone,cintura fininha, bunda redondinha e pele lisa, sem nenhuma marca.

Há 6 anos atrás, ambos com 17 anos, eu o corno, viajei pra Búzios-RJ no verão, com alguns amigos, porém minha namorada não foi, ficou numa cidade praiana perto da nossa cidade natal onde ambas as famílias tinham casa (somos vizinhos na praia). Já namorávamos há 2 anos e tínhamos uma certa cumplicidade e confiança um no outro. Quando cheguei de viagem, me contaram que ela tava conversando no pé do ouvido com um amigo dela em uma festa, logo quando a vi fui tirar essa história a limpo. Depois de uma longa conversa ela, chorando,assumiu que me traiu com ele (só beijos), fiquei com raiva na hora brigamos e fui pra casa. Não consegui dormir a noite, aquela conversa ficou na minha cabeça e eu comecei a imaginar ela ficando com ele, dando pra ele, chupando ele e num misto de tesão e ciúmes meu pau ficou duro e comecei a bater uma punheta, gozei horrores. O arrependimento veio depois, mas por pouco tempo, pq meu pau já ficava duro de novo e foi assim que passei a noite: batendo punheta pra meu primeiro chifre. No outro dia, chamei ela pra conversar disse que amava muito ela e ela me disse a mesma coisa, que nunca mais faria isso é que só me traiu pq tava sozinha etc. E aí fui perguntando como tinha acontecido, como foi e ela mesmo relutante contou, fui pedindo mais detalhes mais detalhes e acabou que transamos muuuito gostoso e gozamos várias vezes. O que mais me dava tesão é que esse amigo dela é o típico macho Alpha: alto, forte e tinha fama de comedor. E foi aí que comecei a procurar na internet sobre o tema, ver vídeos, ler contos e me descobri um belo de um corno manso.

Comecei a me interessar mais e mais por esse mundo liberal, batendo punheta todos os dias pensando nisso e vivendo o dilema que todo corno manso já viveu na vida que é se aceitar assim. Depois do primeiro chifre da minha namorada no início de janeiro, passou-se alguns meses até eu ter coragem de abrir o jogo pra ela. Nesse tempo, jogava algumas indiretas, falava desse amigo que ela ficou, se ela teria coragem de ficar de novo e etc. Mas ela nunca deu muita corda, até que um dia a gnt tava bebendo na minha casa e ela iria pra uma boate que seria aniversário de uma grande amiga dela e eu iria pra casa de um amigo pq seria aniversário dele. E a gnt foi bebendo, só nós dois, conversando e ela tava perfeita! Muito gostosa, vestido curto e colado, tava muito gostosa (apesar de não ter silicone na época, ela já era muito gostosa) e foi nesse dia, até por estar um pouco bêbado, tive coragem de falar com ela. Falei que ela tava muito gostosa e linda mesmo, que todo mundo iria querer ela na boate e que se ela quisesse ficar com alguém poderia, desde que me contasse depois e que não fosse alguém conhecido. Então seguiu um diálogo que guardo perfeitamente na memória até hoje.

Renata: vc tá falando sério? Não vai brigar depois? Pq terminar eu sei que não vai, depois que perdoa o primeiro chifre, perdoa todos-ela, disse isso e deu um sorriso sexy, de puta que sabe que tá no controle da situação.
Respondi que ela podia ficar despreocupada e que se o amigo dela (vou chamar de Bruno) tivesse lá, poderia ficar com ele de novo, já que ele não contou pra ninguém da primeira vez, então era confiável. Então ela disse:
Não vai se arrepender depois em!

E mudou de assunto, o tempo foi passando e chegou a hora dela ir pra boate e eu pro aniversário do meu amigo, combinamos que ela dormiria na minha casa e caso eu chegasse primeiro deixaria a porta aberta. Lá pelas 3 da manhã eu fui pra casa, mas nem sinal dela. Ela chegou com o dia amanhecendo, entrou e foi direto pro meu quarto. Logo acordei e começamos nos beijar (nem lembrava da nossa conversa nessa hora). Coloquei o pau pra fora e ela ficou de joelho me chupando, mas ainda vestida, ficou me mamando olhando nos meus olhos. Depois começou a bater uma punheta pra mim bem devagar e foi falando:
– Amor, sabe aquela nossa conversa de hj mais cedo?
– Sei sim, que que tem?
– Então, vc jura que é verdade? E que não vai ficar bravo comigo?
– Juro, amor
– Pois é, eu fiquei com o Bruno hoje, ficamos escondido mas ficamos quase a noite toda juntos, tudo bem pra vc?

Respondi que sim, que ela tinha realizado um sonho pra mim. Pq eu tinha muito tesão em ser corno manso e aí abri o jogo de vez. Disse que existe todo um mundo sobre isso, casais casados há vários anos, blogs sobre o tema e etc. Então ela ficou de 4 e eu comi ela com muita força, chamando ela de puta gostosa, cachorra, dando tapas na bunda e puxando o cabelo dela. Até que ela olhou pra trás e disse olhando nos meus olhos: mais forte meu corninho, mete tudo!! E foi exatamente nessa hora que tive a melhor gozada da minha vida até então, gozei lá no fundo dela, bem forte. Ela disse que gozei litros haha. Depois disso ficamos abraçados e fizemos juras de amor. No outro dia acordei ela com café da manhã na cama, depois fomos almoçar no restaurante que ela mais gosta e tratei ela como rainha durante toda a semana, ela nem tocou no assunto. Mas só nos vimos de novo no fds e acho que por ter tratado tão bem depois dela ter me contado que me traiu que ela sentiu a confiança e resolveu abrir o jogo. Estávamos vendo filme na minha casa e ela começou a me contar:

Sabe amor, andei lendo sobre essa sua fantasia essa semana. Juro que no começo achei que vc não me amasse mais, mas depois de ler tanta coisa e ver alguns vídeos eu comecei a te entender, percebi que é só uma fantasia como qualquer outra e não posso mentir que também me deu tesão e gostei disso. Afinal, quem não gostaria? Posso sair e fazer o que eu quiser e voltar pra casa e ainda ter vc me esperando?

E então ela me perguntou:
– Tem certeza que é isso mesmo que vc gosta? Que sente tesão mesmo nisso?
– Sim, morro de tesão em ser seu corno e vc tem passe livre pra me chifrar sempre
E ela falou:
Então preciso te confessar uma coisa… Já fiquei com o Bruno outras vezes depois do verão, umas 5 ou 6 vezes, desde que vc começou a insinuar que não brigaria comigo e mandar indireta que queria ser corno eu comecei a te chifrar e agora eu tô arrependida pq fiquei pouco com ele. Perdi muito tempo!

Nisso eu já tava com pau pra fora e ela batendo uma punhetinha pra mim bem devagar, me maltratando. Então ela olhou nos meus olhos e disse:
– Te prepara pra ser o maior corno de todos, quis levar chifre? Agora aguenta! E deu o tradicional sorriso safado dela. Gozei na hora, muito gostoso.

Foi assim que oficializei minha entrada no clube dos corno manso. E agora que a coisa começa a ficar séria hahaha.

Desde daquele dia minha vida mudou muito, cada vez mais fico mais manso e submisso a minha namorada e ela cada vez mais puta, safada, mandona. O tempo foi passando e ela entrou na faculdade de medicina, conheceu muita gente nova. Ficou com alguns veteranos, com homens de outras faculdades mas até dois anos atrás não passava disso. Ela me chifrava, mas sempre com alguém em alguma festa, sem ele saber que eu sabia e gostava. Ia pra festas com as amigas, eu pagava tudo. Pagava o salão, a roupa, a festa. Pagava até pra algumas amigas e pra minha cunhada, que desde o começo sabia de tudo e foi quem mais incentivou a irmã a me chifrar ( acho que por ser mais velha que a gnt e ter mais experiência, sempre me apoiou muito. Me chamava de corno pessoalmente, ficava cmg em casa vendo filme enquanto minha namorada tava em alguma festa e foi assim por um bom tempo, apesar dela me trair muito (com uns 80 caras) ela nunca tinha feito nada além. Só uns amassos.

Mas tudo mudou quando ela foi pro intermed( um congresso de medicina que é só desculpa pra fazer festa e putaria). Rola de tudo lá, muita bebida, droga e pessoal fica doido mesmo. Ela foi com a comitiva da faculdade dela e me prometeu me deixar sempre bem informado, me mandando msg, me ligando e mandando fotos direto. Mas não foi isso que aconteceu, logo quando chegou na cidade onde aconteceria o intermed ela sumiu. Mal falava comigo, só tinha notícias dela atrás das amigas. As amigas me mandavam vídeos dela dançando funk até o chão. Dela falando que me ama e assim fiquei o fds todo em casa batendo punheta pra ela.

Continua….

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho