Conto Real – Minha Vida de Chifradeira – Parte 4

A primeira punheta que bati pro meu namorado foi num Sábado. Eu dormi pensando naquilo e só queria saber de contar pras minhas amigas. Combinei de encontrá-las no shopping no dia seguinte. Mal podia esperar! Me senti tão importante por ser a primeira dentro nos a fazer um garoto gozar kkkk.

Conheço essas duas desde meus 8 anos. Crescemos juntas na escola e são minhas melhores amigas. Somos as “U”s. Ju, Su, Lu. A su era a mais pra frente das três. Beijou primeiro, e beijou mais garotos. Eu vinha segundo. Tinha beijado meu namorado e mais três garotos. E a Lunso tinha beijado um garoto algumas vezes. Era a mais introvertida e quietinha do grupo. Todas éramos CDF. Melhores notas das turma e queridinhas de todos os professores. Éramos bem populares na escola por sermos bonitas e nos vestirmos bem, mas nada no estilo “patricinhas de Beverly Hills”.

Atraiamos a atenção de garotos das turmas mais velhas desde que me lembro e tínhamos os garotos da nossa turma mais como amigos. Tirando o meu namorado, que era o mais bonitinho e rico da turma e portanto também popular.

Descrevi em detalhes a minha aventura da noite anterior e me senti bem respondendo todas as perguntas, até que a Su falou que tinha uma confissão a fazer. Ela soltou a bomba: Não muito tempo atras ela tinha feito o mesmo, COM O RENATO!!! O safado estava pegando as duas!!! E ela já tinha até batido uma punheta pra ele!! Aliás uma não! Algumas!!!

Senti ciúmes, vai entender… mas as coisas só pioraram quando ela comparou o pau dele com o outro pau que ela já tinha visto, de um dos garotos que ela já pegou: – Menina, sabe aquela história de que mulato tem pinto grande? É verdade! O negócio dele é giganteeeeee comparado ao Lucas (o outro que ela viu). Perguntei grande quanto e ela mostrou o antebraço dela. – Sério? Do tamanho do seu braço? – um pouquinho maior!!! Haha – Vocês sabem dessa história de que ele comeu uma professora?? Deve ser por isso!! -Sim!! Ele me falou, mas não quis me contar. Ele falou que me conta se eu deixar ele me ver só de calcinha um dia (-Filho da puta!! Mesma coisa que fez comigo! – pensei)

Quase infartei e obviamente encharquei de tesão. Aquilo que eu tinha sentido na minha barriga era realmente um pau enorme e rachamos de rir quando eu mostrei o tamanho do pau do Bruno: menos da metade do antebraço da Su. E apesar dele ser meu namorado e eu amá-lo, achava graça naquilo tudo. Entre nosso grupinho passamos a nos referir a eles como Ninho (de Bruninho) e Natão (de Renatão) em referencia ao tamanho dos pintos.

No dia seguinte na hora do intervalo a safada da Su falou na frente de todo mundo: – Bruninhooooo!!! Gosto tanto de você!! Posso te chamar de Ninho de agora em diante!! Você deixa Ju? – Olhei pra ela me segurando pra nao rir e falei que podia. E todo mundo começou a chamar ele de Ninho kkkk incluindo o Renato. . Mal sabiam eles do que se tratava. O Bruno pareceu um pouco contrariado mas ele jamais bateria de frente com alguém como a Su. Somos poderosas mandonas. Macho Beta não pode com a gente… era mais um pequeno passo do meu namoradinho na direção de se tornar um capacho.

Continua….

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho