Casal M. e R. do Rio de Janeiro

Oiiiii gente!! Mais um caso de sucesso do Rio de Janeiro. Fico feliz que os cariocas estejam descobrindo meu livro. O Rio é uma das cidades onde é mais fácil ser corno. Além do clima de safadeza estar no ar em todo canto da cidade, os homens cariocas tem muita lábia e são muito safados. Aqui vão as palavras do M.

“Oi Ju, queria te agradecer não só pelo livro sensacional mas também pelo suporte que você deu pelo face. Confesso que não acreditava que a M. fosse capaz de me chifrar mas aconteceu…. Faço questão que você divulgue minha experiência para que outros cornos não pensem que seus casos não tem solução.

Tenho 29 anos e ela 25. A gente se conheceu na faculdade de Direito, mas só começamos a namorar depois que eu me formei, há 2 anos atrás. Logo no início do namoro eu fui direto e falei que tinha essa fantasia de vê-la com outro, mas ela ficou brava e falou que se eu repetisse essa história ela não queria saber de me namorar.

Como ela é uma princesa linda, resolvi deixar a fantasia de lado e continuar namorando com ela, mas claro que no fundo eu sempre mantive esse fetiche. Quando vi seu livro fiquei meio desconfiado, mas era tão barato que eu pensei: Por que não tentar??

O livro é tão empolgante que li em apenas uma noite e reli de novo no outro dia. Fiz uma lista das coisas que ia tentar mudar no relacionamento antes de botar um plano em ação. Primeiro eu tentei o que você me falou pelo face: Apimentar a relação, aumentando o número de vezes que fazíamos sexo, falando coisas mais safadas e conversando com ela sobre a possibilidade de comprar um consolo.

Notei que aumentando a frequência de sexo ela começou a mudar. Começou a mandar mensagens safadas, coisa que não fazia. Daí comentei que tinha tesão quando outros caras a desejavam, mas que ela era só minha. Falei isso algumas vezes, ela não fez objeção, mas comentou um dia: “Ué, e aquela história de ser corno??”. Aí eu falei: “Você disse que ia terminar comigo se eu falasse de novo, então não falei”. O assunto morreu por aí, mas fiquei surpreso dela ainda lembrar, depois de dois anos.

Ao mesmo tempo nós começamos a ir para aulas de escalada indoor, era meu plano para tentar fazê-la ficar perto de potenciais comedores. Como você disse, mesmo que o plano não desse certo, iríamos acrescentar uma atividade sensacional às nossas vidas, e você tinha razão!! Mesmo antes de ser corno, nosso relacionamento melhorou muito com a nova atividade. Nossos fins-de-semana, ao invés de em casa vendo netflix ou restaurantes, ou família, passaram a incluir escaladas incríveis com uma turma muito legal. Fizemos novos amigos e nossa saúde e relacionamento melhoraram muito!

Como ela é muito linda, sempre tinha algum cara de olho, mas ela nunca pareceu dar bola. Até que um dia chegou um baiano e se juntou ao grupo de escalada. Ele ia ficar duas semanas na cidade e tinha uma energia incrível, todo mundo gostava dele. E por causa do carisma e de ser um cara atlético e boa pinta, as meninas do grupo todas queriam o baiano, menos a M, sempre super comportada.

As coisas só começaram a mudar quando a M ficou super amiga de uma das meninas do grupo, que tinha relacionamento aberto com o namorado. Os dois tinham direitos iguais, ele também podia ficar com outras. Elas conversaram bastante sobre o assunto, quando ela me contou eu fingi não estar super empolgado, mas estava, por dentro. Eu só disse “Pois é, tem muita gente assim”.

Uns dias depois, acho que o fato dela estar tão próxima dessa menina tirou da cabeça dela a opinião tão negativa sobre o relacionamento aberto e eu emendei que tinha sonhado que vi ela com outro na cama, e que ele era negro alto e forte. Ela falou: Será que era o T.? (T. era o Baiano em questão). Eu ainda me mantive na defensiva e não falei nada, mas fiquei mais surpreso ainda dela levantar aquela pensamento. Possivelmente ela estava atraída pelo baiano também.

No fim-de-semana tínhamos mais uma caminhada\escalada combinada com o grupo, mas eu não pude ir. Tive que ir para um evento de família em Niterói e ia passar a noite lá. Eu nem esperava que nada fosse acontecer, mas à noite ela me ligou e falou que tinha ficado próxima do T. durante a caminhada e ele contando sobre a vida dele acabou despertando o interesse nela. Ela me perguntou se eu ainda topava aquela história de ser corno e eu falei que sim: Ele só ia ficar mais uma semana mesmo.

Então eles combinaram de sair e já rolou na primeira noite, no hostel onde ele estava, na Lapa. Fiquei morto de ciúmes, afinal sempre dá aquela sensação de que você vai perder sua amada, mas ao mesmo tempo morrendo de tesão. Quase gozei quando ela disse que o corpo dele era forte como um touro. Só fiquei imaginando aquele baiano comendo minha gatinha.

Eles se encontraram mais três vezes antes dele ir embora. Inclusive nos dias que nós sempre nos encontrávamos durante a semana. Eu fiquei com muitos ciúmes mas ela falava: “Calma amor, eu sou só sua, mas ele vai embora, tenho que aproveitar né?”

Enfim, a combinação dela estar mais safada, de eu pegar leve e não insistir, de ela ter conhecido uma menina que fazia a situação parecer mais normal e de termos começado uma nova atividade onde ela conheceu muitas pessoas levaram à realização do meu sonho de ser corno. E todas foram dicas dadas por você!! Agradeço muito!!!

Para quem acha que nunca vai conseguir, minhas dicas: Escute a Ju, tente colocar sua mulher em situações onde vai conhecer outros machos e dê tempo ao tempo. Pode dar certo!!!

26168355_10160481567325347_2563689640917163207_n

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho