Casal F. e M. de Cianorte-PR

23117072_10208429718859375_635062297838604246_o (1)

 

Hoje ao ler meus e-mails na hora do almoço (leio e-mails apenas duas vezes ao dia, o que vocês deveriam tentar – é a maior distração do mundo moderno depois de messengers), me deparei com uma notícia maravilhosa.

Um dos primeiros cornos que compraram meu livros, ou, no caso, candidato a corno, convenceu sua ESPOSA SANTINHA a chifrá-lo. Sinceramente sempre que alguém me pede ajuda eu penso comigo: “Ah, essa vai chifrar rapidinho”. Em outros casos, penso o contrário. “Putz, essa vai ser foda de chifrar”. Não estou mentindo quando acho que TODOS os casos têm solução, senão eu não teria escrito meu livro (Como Tornar-se Corno, convencendo sua amada a te chifrar – Pra comprar click no link nesse post ou na página principal), mas eu acho que alguns casos são muito difíceis e possivelmente não vão dar certo porque o corno não vai saber lidar com a situação.

Repito: Toda mulher tem potencial pra chifrar, desde que o corno faça as coisas certas. Se o corno for impaciente, ou insistente ou simplesmente passivo (esperar a esposa um dia acordar e resolver chifrar é receita de fracasso), aí sim… não vai dar certo.

Neste caso a situação era difícil porque não havia nada de errado no relacionamento deles. F . e M. tem 31 e 29 anos, nove anos de casamento, dois lindos filhos, ótima comunicação, e são bem sucedidos financeiramente. E ainda por cima, moram na pequena Cianorte, cidade de 100 mil habitantes no Oeste do Paraná. Cidade pequena é complicado porque, todo mundo se conhece, especialmente as famílias mais bem sucedidas, então nenhuma mulher vai querer arriscar sua reputação em troco de uma fantasia sexual, ainda mais quando ela tem tudo que imagina ser certo: um marido fiel, filhos e estabilidade.

Como resolver, então? Uma das dicas que eu costumo dar para cornos cuja vida sexual está ok é: parem de comer suas esposas. Quanto menos vocês comerem, mais elas sentirão falta, e abre mais possibilidades dela querer dar pra outro. Nesse caso eu achei que a melhor abordagem era fazer o contrário: Apimentar MAIS o sexo. Tentar coisas novas, comprar brinquedos, sempre experimentar uma coisa nova, toda vez que o casal fosse pra cama.

Sempre uma posição diferente ou um lugar diferente (ainda que isso signifique comê-la no chão ao invés da cama), ou uma rotina diferente. Por exemplo, sexo oral depois do sexo ao invés de antes. Começar de pé ao invés de deitados. Nunca pegou pelo pescoço? Dá uma estranguladinha e vê a reação dela… Coisas assim..

Aos poucos o F. foi tentando essas coisas diferentes e ela sempre respondia bem. Apesar dela ser bem comportada em geral, entre quatro paredes ela curtia bastante uma brincadeira nova e era bem safadinha. Mas ele se sentia frustrado porque ela nunca fez nenhum comentário malicioso a respeito de outro homem, nada que jamais pudesse fazê-lo pensar que ela poderia um dia servir a um macho alfa (falando nisso, pra quem ainda tem dúvidas, se você quer ser corno, você não é macho alfa, PONTO).

Quando a relação dos dois já estava bem mais excitante por causa desse meu conselho (de nada, querido… kkk), eu dei outra dica que sempre dou e que tem índice de sucesso muito grande. Falei a ele para dizer para a M. que teve um sonho esquisito: Ele chegou em casa e pegou ela na cama com outro homem. Para todos vocês que forem fazer isso. Lembrem-se. Não vão com muita sede ao pote. Falem apenas o básico, e vejam a reação da sua amada. Das duas uma: Ou ela vai te dar corda, o que é um ótimo sinal, ou vai pirar e falar algo do tipo: – Eita, ficou louco é? O que não é um bom sinal.

Felizmente a resposta foi positiva e a M. perguntou: – Sério, ele era conhecido? – Não, pelo menos não que eu lembre…. – Mas como? Na nossa cama? – Sim… – Qual posição? (ÓTIMO SINAL). – De quatro, te pegando pelo cabelo.. – Nossa, ele deve ser bom de cama!! BINGO!!! Ótimo sinal. Essa é a hora em que muitos cornos erram: Ao menor sinal positivo eles já botam todas as cartas na mesa, assustando as pobrezinhas, comprando 300 vestidos safados e botando as amadas contra a parede. O ideal aqui é ir aumentando aos poucos a curiosidade e o desejo dela e não forçá-la a fazer algo que ela nunca pensou.

O próximo passo foi relativamente simples. O casal viajava bastante para visitar familiares em outras cidades. Sugeri que em uma dessas viagens, a Londrina, ele a convidasse para ir a algum lugar um pouquinho mais agitado. O ideal seria uma casa de música sertaneja. Mas como eles gostam de música de qualidade, sugeri algum lugar que tocasse Rock. Eles foram, beberam um pouquinho, e como eu sugeri ele a deixou sozinho algumas vezes pra ir ao banheiro. Nada aconteceu nas primeiras vezes mas na última quando ele voltou ela estava conversando com um rapaz.

Nesta saída nada aconteceu, mas na volta da balada ela estava pensativa. Com uma energia diferente. Ele perguntou o que o rapaz conversou com ela e ela disse que perguntou o que uma mulher linda como ela estava fazendo sozinha ali no bar. Ela falou que não estava sozinha, o marido só tinha ido ao banheiro. O cara disse então: – Marido de sorte, você é linda e tem um lindo sorriso.

(Aliás, ta vendo BABACAS? Não tem que chamar mulher de gostosa ou sair mostrando seu PINTO ou agarrando a mulher. Quer pegar mais mulher? Converse feito um ser humano normal, seja gentil e confiante e ela vai se sentir atraído por você. Falar coisas do tipo: Nossa, que delícia! Ou: Ô lá em casa; ou chegar agarrando tentando beijar são extremamente broxantes e vocês vão pegar muito menos mulheres por causa desse comportamento)

Então o F. perguntou: – E o que você achou? Gostou dele? – Que isso F., ficou doido? Tá achando que eu sou dessas é? – Calma amor… Eu tenho que te falar uma coisa… Lembra que eu disse que sonhei que te vi com outro? Eu não te contei que acordei de pau duro. E depois daquele dia aquele pensamento não saiu da minha cabeça. Eu cheguei à conclusão que tenho essa fantasia de você sair com outros.

Ela ficou muda por um tempo e depois disse: – Não tô acreditando nisso, você tá me testando né? – Não amor. Eu te amo, não quero ficar com outra, mas essa fantasia me dá tesão. Eu não quero que você faça isso se você não quiser, mas se te der tesão também, poderíamos tentar né? (Sinceridade, a melhor receita pra qualquer coisa). – Nossa, por essa eu não esperava. E como seria isso?

A reação dela foi surpreendente pra mim. As mulheres normalmente reagem automaticamente de forma negativa a isso. Isso porque nós temos uma preocupação enorme em não parecermos safadas. Mesmo que tenhamos pensamentos safados, tem algo no nosso cérebro que funciona como filtro sobre o que expomos para o mundo, para que mantenhamos nossa reputação “casta”. Dois mil anos de cristianismo e repressão da mulher deu nisso. Vai demorar uns 100 anos pra nos livrarmos disso de vez. No meio tempo, homens… Vão devagar, senão o instinto anti-puta da sua amada vai falar mais alto.

Felizmente para o corno ela pensou no assunto e falou que concordava, mas que ele não poderia ficar com outra (música para os ouvidos de corno) e que não poderia ser na cidade deles. E que não queria que ele assistisse. Acharia muito estranho. Claro que ele concordou (cornos, lembrem, as mulheres tem que fazer as regras, não VOCÊS…… CORNOS!).

Eles viajaram novamente, desta vez para Maringá e desta vez a única balada decente da cidade era uma casa sertaneja. Essa é mais uma dica que sempre dou para cornos. Dêem um jeito de levar sua amada pra dançar. Se ela não dança, façam aula de dança. As vantagens são muitas. Além de ser um ótimo exercício para o corpo e para o cérebro, homens que dançam atraem as mulheres instintivamente. Elas não tem escolha. Casadas ou não, santinhas ou não, elas amam homem que dança e o corpo delas vai sentir tesão por um pé-de-valsa antes mesmo dos cérebros pensarem que isso não é certo.

Além disso a dança é um ótimo quebra-gelo. As mulheres se sentem automaticamente à vontade perto do comedor e com o toque, barreiras difíceis de quebrar sem dança se o pretendente não for muito bom de papo. E o principal: Dançarinos sabem chegar em mulher. Eles estão sempre rodeados de mulheres e têm habilidade na arte da sedução. Sua mulher será presa fácil para um garanhão dançarino.

Ela se arrumou bem linda, com um vestidinho que, se não muito curto, deixava sua enorme bunda bem marcada e suas coxas grossas bem apetitosas à mostra por cima de uma bota de cano longo. Linda que é, assim que eles chegaram na balada, ele foi buscar cerveja sei lá aonde e logo que ele se virou ela já estava dançando com um moreno alto. O corno disse que seu pau ficou duro imediatamente só de ver a sua linda esposa dançando colada com o cara. Era um sonho prestes a se realizar.

Sua linda e recatada esposa, que há semanas atrás estava mais perto de concorrer ao governo do Paraná do que cornear seu marido, agora já estava agarrada àquele moreno. Quando ela voltou o corno perguntou: Ele te cantou? – Sim, pediu meu telefone. – E você? Falou que era casada? – Não…. (Vitória!!!! kkkk). Posso dar meu telefone pra ele? – Se você quiser… – Ok… Você tem certeza? – Tenho amor… – Ok.. Se ele vier dançar comigo de novo eu dou.

O cara demorou pra voltar. Como bom dançarino, dançou com umas 10 diferentes antes de voltar, e nesse meio tempo a M. ficou inquieta, impaciente. O F. notou que ela olhava pra ele às vezes, mexia no cabelo. Tinha uma linguagem corporal de quem estava tentando chamar a atenção do macho. Como eu sempre digo queridos, o instinto de servir ao macho alfa sempre fala mais alto. É algo inexplicável que nos move em direção à isso. E era isso que estava acontecendo com ela. O corpo dela queria aquele macho alfa reprodutor.

O corno saiu de perto e o cara tirou ela de novo pra dançar. Desta vez dançaram 3 músicas direto, e ela nem olhou pro corno. Estava totalmente dedicada ao macho, conversando animadamente. Na volta ela disse que ele queria levá-la pra casa mas ela falou que tinha vindo com um amigo gay (o corno kkkkkkkkkkk). Por isso ordenou que o frouxo não a beijasse pro macho não achar estranho. Falou com um tom meio ríspido, como ele nunca tinha ouvido.

É muito interessante essa dinâmica. A fêmea, para garantir o direito de servir a um macho alfa, bota seu corno no devido lugar. Fez algo que nunca faz: Tratou o corno como capacho, ainda que sutilmente. É o instinto de servir ao macho.

Eu diria que nessa situação era 99% certo que ela daria pra ele. Como bom comedor ele a deixou esperando e só mandou mensagem 3 dias depois: Ela já estava louca de esperar e o corno mais ainda. Um pouco de conversa e ele já a chamou pra sair. Como eles moravam em cidades diferentes, esperaram a oportunidade de visitar Maringá novamente, onde ela teria um encontro com ele. O encontro acontecerá nesta Sexta.

Qual a opinião de vocês? Eu acho que está 99,99% certo dela passar a noite de Sexta sentada no pau do macho alfa. O que vocês acham?

—————————–

Para comprarem o livro que o F. comprou com o passo a passo pra convencer sua amada a chifrar, cliquem no link aqui ou na página principal. Se não conseguirem comprar na Amazon, mandem mensagem pra eu enviar boleto. 

Este post tem 10 comentários

  1. Vai sentar e muito

  2. Oi, li seu livro, minha esposa e eu eramos crente , e agora ela é maior galinha…
    adorei as suas ideais..parabéns…e muito obrigado por fazer ela me torna um corno..

  3. Sim, com certeza ela vai rebolar no colo do macho alfa.

    1. Lucca ela não so rebola, como quica, senta, faz de tudo..dança até funk no pau dos caras

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho