Camila Virou Putinha do Inquilino

Oi Ju, sou  a Camila e adoro seu blog, seu tumblr, me identifico muito que até me inspirei pra fazer um pra mim kkkk, tenho um namorado corno de pinto pequeno e to mandando um conto para vc publicar se gostar, mas acho que ficou meio grande (igual os pintos que eu gosto) kkkkk
Oi, me chamo Camila, tenho 18 anos e vou contar como virei a putinha do inquilino da minha vó. Vou fazer o relato bem detalhado então tenham paciência kkkkk
Sou loira, 1,65, bonita, peitos médios, coxas grossas e uma bunda bem empinada e redonda, sou filha única e meus pais separados, no início do ano passado minha mãe passou num concurso público e teve que mudar de cidade então fui morar com a minha vó até terminar o ensino médio.
Minha vó tem 65 anos e é bem doidinha kkkk, ela mora sozinha e tem uma edícula no fundo que ela normalmente aluga. Quando mudei para a casa dela a edícula tava alugada para um homem de cerca de 40 anos, forte, meio barrigudo, com cara de tarado e meio folgado. Achei ele meio folgado pq quando eu chegava da escola ele tava almoçando na casa da minha vó e ela dava almoço pra ele e não cobrava nada. Ai eu chegava e ele ficava com aquela cara de tarado olhando descaradamente pra minha bunda. Engraçado que ele nem falava comigo, só ficava lá sentado comendo e me secando, mas achava ele com muita cara de tarado.
Não sou santa e já não era virgem, tinha chupado uns moleques na escola e sempre gostei de provocar, tenho um namoradinho que é bonitinho, legalzinho, educadinho, tem um pintinho médio e quando a gente transa ele goza rapidinho, ou seja, tem vocação pra ser corno kkkk.
Passados uns dias, quando cheguei da escola minha vó veio falar que o João (é o nome dele) tinha pedido pra ela se eu não podia dar umas aulas de computação pra ele e ela sem nem perguntar pra mim já tinha combinado que eu ia lá na edícula a tarde pra ensinar ele. Fiquei puta, disse que não queria, mas minha vó disse que eu não podia ser assim, tinha que ajudar quem precisava, ficou me dando sermão até que eu falei:
– Tá bom vó, eu vou…
Tomei um banho ainda irritada, mas já com um frio na barriga me imaginando sozinha com aquele homem rude. Não sei o que passou na minha cabeça, mas coloquei uma calcinha pequena, um shortinho curto, passei um batom e falei para a minha vó:
– Vó, vou subir lá…
– Tá bom meu anjo…
Subi até a edícula, bati na porta, ele abriu, me olhou de cima até embaixo e fez sinal para eu entrar. Com as pernas já meias bambas fui entrando na edícula que tinha poucos moveis e meio gaguejando falei:
– Eu vim que … ehh…minha vó mandou…ehh…pra ensinar…o computador…e ele:
– É, eu sei… (ele não fala muito)
Tinha uma mesa com um notebook em cima e ele puxou duas cadeiras e me mandou sentar do lado dele. Quando ele abriu o computador quase que meu coração saiu pela boca, era um site de mulheres peladas e cenas de sexo. Ele disse:
– Preciso que vc me ajude a salvar umas fotos… e foi colocando a mão na minha coxa…
Eu gelei e fiquei sem reação sentada ali do lado dele e ele subiu a mão até o meio das minhas pernas e disse:
– Desde que eu te vi percebi que vc é uma putinha…
Com uma mão já indo para dentro do meu shortinho e a outra apertando meu peito eu estava completamente paralisada, ai ele se levantou e me puxou para ficar de pé, veio por trás e começou a me encoxar, sua barriga na minha costa e seu pau duro cutucando minha bunda eu só consegui balbuciar:
– Não…para…minha vó…ain…preciso ir…ahhh…não quero…
Ele sem se importar continuou me agarrando e começou a puxar minha blusinha e eu já meia entregue levantei os braços para facilitar a saída, ele tirou meu sutiã e empalmou meus seios enquanto continuava me encoxando. Me apertou mais um pouco enquanto brincava com os biquinhos dos meus seios até que me soltou, se afastou, sentou num sofazinho, tirou o pau para fora, já bem duro, um pau grande e grosso e me chamou:
– Vem chupar sua putinha…
Sem raciocinar direito e também já excitada pelo amasso que ele me deu, fui até ele, me ajoelhei peguei seu pau e comecei a chupar. Eu estava até com dor de cabeça de tão nervosa, mas com aquele pau grosso na boca fui me acalmando e comecei a caprichar no boquete. Ele com a mão na minha cabeça ia controlando o ritmo, as vezes deixando eu chupar tranquila e as vezes me segurando e forçando na minha boca me fazendo engasgar e deixando o pau todo babado. Eu ali concentrada em chupar escutei ele falar:
– Chupa o pau piranha, a partir de hoje vc vai ser minha putinha, vai fazer o que eu mandar…
Continuei chupando até perceber ele gemendo – Vou gozar…, então ele tira o pau mas recebo o primeiro jato na minha boca, e depois mais uns 3 jatos por todo o meu rosto me deixando toda melada. Engoli a porra da minha boca e fiquei ali ajoelhada limpando meu rosto com a mão mesmo enquanto ele se levantou e foi no banheiro. Me arrumei ali do jeito que deu até que ele voltou com o pau já querendo crescer de novo, me puxou até um colchonete que tinha ali no canto do comodo e me mandou deitar.
Deitei no colchonete de barriguinha para cima, ele veio e começou a mamar os meus seios, até que puxou meu shortinho e minha calcinha me deixando peladinha, ficou apertando minha bunda e brincando com os dedos na entrada da minha buceta, abriu minhas pernas e deu uma lambida me deixando molhada. Seu pau já estava duro de novo e percebi que ele ia me penetrar. Pedi:
– Por favor, coloca a camisinha…
Ele me encarou e disse:
– Vou colocar hoje porque é a primeira vez, depois vc se vira que eu não vou por nada…
Ele levantou, foi até um armário, pegou a camisinha e voltou já colocando ela no pau, me pegou, abriu bem minhas pernas, pincelou a cabeça do pau na entrada da minha bucetinha e começou a enfiar para dentro de mim.
Eu estava ali deitada com aquele cara forte, pesado em cima de mim, me fodendo com vontade, ele bufava e eu não consegui resistir e comecei a gemer.
Ele metia no ritmo, enfiando o pau todo e tirando, ficou um tempão ali me comendo, as mãos apertando meus seios, sua boca lambendo e beijando meu pescoço até que ele aumentou a velocidade, começou a gemer e gozou.
Ele saiu de dentro de mim, se deitou do meu lado, os dois ofegantes se recuperando da trepada, ele quieto e eu também, até que eu criei coragem e falei:
– Preciso ir…
Me levantei, coloquei a calcinha, o shortinho, o sutiã, a blusinha, me arrumei para sair, quando ele ainda deitado no colchonete falou:
– Se prepara que amanhã eu vou comer o seu cu…
Nem respondi nada, sai praticamente correndo da edícula, mas no fundo eu sabia que ia voltar…
Cheguei em casa ofegante, ainda bem que minha vó não estava. Fui tomar um banho e enquanto a agua caia no meu corpo fiquei lembrando de tudo que tinha acontecido. Porque eu não resisti? Porque eu não saí correndo quando ele colocou a mão na minha coxa? Porque eu me entreguei tão fácil? Sinceramente não sei explicar, acho que no meu inconsciente eu tinha esse desejo de ser dominada, de ser a putinha de um homem mais velho, passava muita coisa na minha cabeça, mas não posso negar que aquilo tudo me excitou.
Pensei no jeito meio rude dele e no boquete que eu fiz, nele me comendo, no meu namorado bonzinho e no seu pauzinho, no que ele falou quando eu estava indo embora. Fiquei brincando com o chuveirinho na minha buceta até que eu gozei.
Fiquei deitada no sofá descansado até que minha vó chegou. Ela perguntou:
– Oi meu anjo, foi tudo bem lá com o João?
– Foi vó, expliquei para ele umas coisas básicas, acho que amanhã vou ter que voltar lá…
Meu namorado passou em casa, saimos, tomamos um sorvete, mas eu não estava com saco pra ficar com ele e não tirava o pauzão do João da cabeça, mandei ele me diexar em casa, dei um beijinho de boa noite, entrei e fui falar com minha vó:
– Vó, amanhã não vou para a escola, vai ter um evento lá e eu não preciso ir… Inventei uma desculpa qualquer.
Dormi, levantei umas 10 da manhã e fiquei ali de bobeira até a hora do almoço. Ele veio comer mas eu nem sai do quarto, fiquei com vergonha de encontrar com ele ali junto com a minha vó kkkkk
Na verdade, eu estava com muito medo, do que aconteceu e do que com certeza ia acontecer, mas o tesão falou mais alto, fui tomar um banho, lavei bem o meu cuzinho, me arrumei, coloquei um vestidinho leve, me despedi da minha vó e subi para a edícula.
Bati na porta, ele abriu e já percebi um sorriso irônico no rosto dele, tipo “sabia que vc ia voltar”. Entrei e ele já veio me agarrando, colocando a mão por dentro do meu vestidinho e apertando a minha bunda. Ele sentou no sofá e me puxou para sentar no colo dele, sentei e logo comecei a sentir o pau dele endurecendo. Eu estava com muita vergonha, mas não tinha reação e só fui deixando ele se aproveitar.
Quando o pau dele já estava bem duro, ele me mandou levantar, tirar o vestido, ficar pelada e chupar. Fiz o que ele mandou, me ajoelhei e comecei o boquete, seguimos o mesmo ritual do dia anterior, as vezes ele me deixava chupar tranquila, as vezes segurava minha cabeça e forçava o pau quase até a minha garganta. Chupei, chupei até que senti que ele ia gozar, imaginei que ele ia tirar, mas não, segurou minha cabeça e com metade do pau na minha boca ele gozou. Senti os jatos enchendo minha boca e a voz dele ‘engole’. Engoli tudo, fiquei sentindo uma sensação estranha, a porra grossa descendo pela garganta, a boca grudando, ele tirou o pau e ficou esfregando na minha bochecha até sair as últimas gotas.
Ele fiou sentado no sofá se recuperando e eu levantei e fui pegar um copo de água para tomar e ver se tirava um pouco daquele gosto de porra da minha boca kkkkk
Nossa, não sei se ele estava tão louco para comer a minha bunda ou foi a situação de me ver peladinha andando pela edícula pra pegar a água e depois voltando sem graça pra perto dele, mas nem 5 minutos depois dele gozar seu pau já começava a dar sinal de vida de novo e eu sabia o que estava por vir.
Ele levantou do sofá já me agarrando por trás, apertando minha bunda, dando uns tapinhas e me levando pro colchonete. Mandou:
– Fica de 4…
Com um frio na barriga, morrendo de medo e de tesão, fiquei de 4, empinei bem minha bunda deixando ela toda a disposição dele, ele abriu bem as minhas pernas e senti sua língua quente lambendo minha buceta e meu cuzinho. Que delicia kkkkk.
Lambeu um pouco, cuspiu no meu cuzinho e levantou para pegar algum creme ou lubrificante que eu nem vi o que era, só senti ele espalhando na entrada do meu cuzinho até que ele colocou o dedo do meio no meu cu, dei uma travada mas logo tentei relaxar porque ele tirou o dedo e começou a pincelar a entrada com algo maior e mais grosso. Ele forçou a cabeça do pau que foi entrando, ele me segurando pela cintura ia enfiando mais, o cuzinho queimando, até que ele deu um tranco e socou tudo dentro de mim.
Eu estava literalmente mordendo um travesseiro, agarrando ele com as mãos fechadas, de 4 apoiada nos cotovelos, gemendo, suando, sentindo o vai e vem do pau dele na minha bunda e ele sem se importar comigo ia aproveitando cada minuto da enrabada.
Cuzinho ardendo, já cansada de ficar de 4, ele bombando forte na minha bunda, mas sabe o que é pior? Eu estava gostando de ser dominada e fodida daquele jeito…
Só sei que depois de um tempão comendo meu cu ele não aguentou mais, me segurou forte, cravou o pau e gozou. Deitou por cima de mim, bufando, eu completamente exausta até que seu pau amoleceu e saiu de dentro de mim. Ele deitou no colchonete de barriga pra cima e eu fui no banheiro me limpar, levantei toda dolorida, torta, a porra escorrendo do meu cu e sabendo que não tinha mais volta, eu era a putinha do inquilino da minha vó. e meu namoradinho ia levar muito chifre,

Este post tem 2 comentários

  1. Que conto gostoso Camila. .eu que iria amar em ser seu corno manso ..vc deve ser uma delícia. .vou deixar meu e-mail para podermos conversar ok marcio382015@hotmail.com ..parabéns pelo seu conto ..putinha linda e gostosa. .

Deixe uma resposta

Fechar Menu
×
×

Carrinho